Afrodite – a deusa da beleza e do amor

Olá! Hoje vamos falar um pouquinho sobre Afrodite, a mais bela das deusas e a mais admirada também.

A deusa da beleza e do amor teve um nascimento um tanto quanto, diferente, digamos assim. Lembram que lá no artigo sobre a origem do mundo, falei de como Cronos tomou o trono de Urano. Armado de uma foice, Cronos feriu Urano, arrancando-lhe um pedaço. Bem, este “pedaço”, nada mais era do que suas partes íntimas. No momento que Urano sofreu o golpe, o pedaço que lhe fora arrancado caiu no mar, perto de uma ilha chamada Kythira. A partir daquilo formou-se uma espuma branca no mar, que foi tomando formas de uma bela jovem.

Nascia ali Afrodite, a mais bela das mulheres entre mortais e imortais. Não havia beleza que se comparasse à ela. Ela era portanto filha de Urano, irmã de Cronos, e tia de Zeus.

Conta o mito que, com seu nascimento, toda a natureza se alegrou de tão bela que a deusa era. Peixes pulavam animados, e pássaros marinhos trouxeram para ela uma grande concha que lhe serviria de carruagem. Foram os pássaros que a levaram, puxando sua concha-carruagem até as margens da ilha de Chipre. As Graças e as Horas vieram recebê-la na beira da praia e a acolheram com muita alegria.

Duas obras de Sandro Botticelli representam estes dois momentos lindamente, como podemos observar abaixo:

Nascimento de Vênus - Botticelli
Primavera de Botticelli

Na primeira cena, Afrodite está sendo recebida por uma das Graças, que lhe cobrirá. Na segunda cena, há uma celebração pelo nascimento de Afrodite, que se encontra no centro da tela, com Eros que a sobrevoa.

Afrodite era muito elegante, graciosa e feminina. Caminhava suavemente, tinha modos delicados, majestosos e logo que chegou no Olimpo foi recebida com alegria pelos demais, que logo a adoraram. Distribuía sorrisos e tinha um olhar cativante, encantando a todos que a cercavam.

Uma das versões da mitologia afirma que Eros, o cupido, era seu filho. Estava sempre acompanhada do menino alado que se assemelhava a um anjo rechonchudo. Sempre com seu arco pronto, auxiliava a deusa a espalhar o amor entre mortais e imortais. As flechas de Eros eram que faziam despertar o amor naquele que fosse atingido. Conta-se que ela também possuía um cinto especial que aumentava ainda mais sua beleza e seus poderes.

A bela Afrodite era a deusa protetora de todos que sentem o verdadeiro amor e seu animal preferido era o pombo, pois esta ave, ao nascer, formam casais que vivem juntos até a morte.

Um dos principais deveres da deusa era proteger o casamento e fazer com que os apaixonados cumprissem suas promessas. Nada a deixava mais furiosa do que ver uma promessa de amor quebrada.
Existem vários mitos envolvendo Afrodite e seus poderes de deusa, protegendo casais apaixonados. Como também suas aventuras amorosas e histórias de seu filho Eros. O meu mito preferido é o de Eros e Psiquê. Uma linda história de amor e desafios, onde o amor prevalece, que contarei a vocês em uma outra ocasião. Até! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *