Medo de compromissos

 

No último final de semana eu assisti na tv ao filme “Verdade Nua e Crua“. É legalzinho, diverte, a gente consegue dar boas risadas e tchanan, um final feliz que as comédias românticas pedem. Mas é só um filme.

O filme conta a história do típico cara que tem medo de compromissos e da garota que sonha com seu príncipe encantado. Isso existe,  aos montes por aí. O cara se faz de descolado, muito esperto, diz que o amor não existe e bla bla bla, e tem aquele discurso típico machista que romance é bobagem, que o negócio é só fazer sexo e pronto. E lá pro final descobrimos que o moço só ficou assim (tadinho né) depois de algumas decepções amorosas.

Enfim, ele tem medo de se comprometer, medo de amar e acabar sozinho de novo. Ai, tadinho, mais uma vez. Me deixa contar um segredinho: todos temos esse medo com maior ou menor grau.

Só que tem muita gente por aí que tem verdadeiro pânico de assumir um compromisso. Tanto homens quanto mulheres. Antigamente eram mais os homens, hoje em dia, acho que meio que está igual.

Mas enfim, no filme o amor (ah, o amor) cura absolutamente tudo e todos ficam felizes para sempre.  Isso não existe. Seria bom se a vida fosse uma comédiazinha romantica, mas não é.

A pessoa que tem medo de compromissos não vai se curar simplesmente por ter se apaixonado. A princípio pode até assumir um namoro e tudo ir às mil maravilhas, até que, um belo dia, dá algum tipo de gatilho na cabeça do medroso e ele começa a fazer de tudo pra sabotar o relacionamento. E nem é por mal não, não é de maneira consciente. O medo do infeliz simplesmente é mais forte e ele começa a surtar. Começa a querer desaparecer, dando umas sumidas doidas, pára de dizer que ama e, quando ouve essas palavras, disfarça como pode pra não ter que responder. A vida de quem ama esta criatura covarde se torna em um verdadeiro inferno! Pois quando ele se sente novamente carente, ele volta pedindo atenção de novo. E se justifica dizendo “é que eu tenho medo de compromissos!!!”

A pobre coitada (ou pobre coitado) aceita esta pessoa egoísta e instável de volta – é, sim, egoísta, jamais se coloca no lugar do outro – pois ama e acha que se tiver um pouco de paciência, tudo se acerta. Bela ilusão. Nada se acerta. Não dou duas semanas pro cara surtar de novo e começar a afastar quem o ama.

O fato é que quem ama a criatura que tem medo de compromissos, come o pão que o diabo amassou. Portanto, se você tem medo de se relacionar e se comprometer, então não o faça. Procure um analista, resolva seus problemas e pare de fazer os outros sofrerem, pois eles podem gostar de verdade de você e não merecerem conviver com a sua insegurança, desaparecimentos, afastamentos, comportamento egoísta e etc. Tenha ao menos a coragem de assumir que tem um problema e deixe o seu parceiro(a) ser feliz em outro lugar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *