Héstia – a deusa protetora dos lares

Depois de uma longa pausa, eis que estamos de volta com a nossa série sobre Mitologia Grega. E desta vez vamos apresentar uma das deusas mais doces do Olimpo, mas menos conhecida também.

 

 

Deusa Héstia
Ilustração tirada de: http://confessionsofacollegewitch.tumblr.com
Autor desconhecido 

 

A deusa Héstia, uma das irmãs de Zeus, nasceu logo depois de Hera e Deméter. Apesar de não ser muito citada nas histórias, era uma das deusas mais queridas entre os deuses do Olimpo e mortais. A doce Héstia era considerada a personificação da segurança do lar,  da moradia, do aconchego da família. Apesar de seu temperamento maternal, Héstia preferiu se manter virgem fazendo voto de castidade perante o senhor dos deuses, seu irmão, Zeus. Permanecendo assim solteira e firme em sua decisão, recebeu de Zeus a honra de ser cultuada sempre em todos os lares e templos, e respeitada por todos os deuses e mortais.

A mais gentil e preciosa das deusas era adorada por toda parte como protetora das cidades e das famílias. Tendo como simbolo o fogo da lareira, sua chama sagrada brilhava continuamente nos lares e templos e quando os gregos fundavam cidades fora da Grécia, levavam parte do fogo da lareira como símbolo da ligação com a terra materna e com ele, acendiam a lareira onde seria instalado o poder político da nova cidade.

Os viajantes, ao chegarem a uma cidade de destino, tinham como costume fazer um sacrifício em honra à deusa antes de qualquer outra coisa.

Com toda a sua simplicidade e gentileza, a deusa jamais era esquecida, por mais tímida que fosse e por mais que preferisse não aparecer muito, estava sempre presente no coração de todos. Era representada como uma mulher jovem, com uma larga túnica e um véu sobre a cabeça e sobre os ombros e para os romanos tinha o nome de Vesta.

Em Roma, suas sacerdotisas eram chamadas vestais.  As vestais faziam voto de castidade e deveriam servir à deusa durante trinta anos. Lá a deusa era cultuada por um sacerdote principal, além das vestais.

Resumindo: uma deusa discreta, amável, protetora e querida.

Semana que vem vamos falar do poderoso e temido Poseidon, o senhor dos mares, um dos três grandes.

Espero que tenham gostado! Até a próxima 😉

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *